Assunto do dia: MAMAS

30-11-2017

No Facebook: 

O Cenas é assim um sítio onde a Sena gosta de dizer o que lhe apetece... A minha identidade não é segredo nenhum mas decidi que o Cenas seria o local ideal para eu desanuviar do trabalho, dizer o que me vem à cabeça e, acima de tudo, por ser uma página, permitir a quem quer ver e a quem não quer, passar à frente... 

Hoje fala-se de mamas. E vocês pensam... pronto, é desta que a menina pirou de vez! Não meus senitas, não! Falo de mamas porque as mamas do mulherio existem localizadas no peito para um certo e definido objetivo. E vocês perguntam, qual? Eu respondo... MAMAR!
Então cá vai... O Xôr Cláudio Ramos, ilustre comentador televisivo e que eu cá tenho em conta como alguém todo para a "frentex" e bem, não tivesse ele assumido a sua homossexualidade (e bem!), depois de ter vivido uma dita vida "normal, decidiu falar sobre uma foto da Dália Madruga a alimentar a filhota mais pequena. Eu gosto do Cláudio Ramos. Gosto. Acho que ninguém deve viver de nem na mentira. E não digo isto porque fica bem sermos para a "frentex". Não. Digo isto porque gosto da sinceridade dele, porque convivo com homossexuais, porque convivo com heteros, com altos, baixos, gordos (eu, todos os dias!) e magros, conservadores, feministas, e por aí fora... e cada um deve poder ser o que quiser, sempre. Só que... Há coisas que me ultrapassam... Ora, se somos todos "in" numas cenas... porque não somos noutras? E se antes eu não ligava nenhum, agora começo a ver as coisas com "outros olhos". Deve ser a PDI. 
A Dália Madruga respondeu (e muito bem!). A questão aqui é: mas que raio de mal tem uma mulher partilhar no seu instagram uma foto a alimentar a filha dela? Qual é o problema com a amamentação em público? Ainda por aí um público anti "mama de fora" quando na verdade o mal está na cabeça dessas pessoas que acham que as mamas quando estão de fora para alimentar os filhos, é ser-se uma depravada, uma pouco sensível para com os olhos de quem passa... Atão mas quer dizer...?! As mamas servem para quê na cabeça das pessoas? Era isso que eu gostava de saber (ou se calhar até não!). A amamentação devia ser olhada com normalidade. Claro que cada uma é que sabe se vai ou não amamentar (já não falo dos casos em que não podem!). Isso é uma liberdade pessoal e que, apesar de eu ser defensora que a amamentação até certa idade tem sim muitos benefícios para a criança e até para a mãe, não ando aí de cartazes a dizer que todas têm que pensar assim. Mas a amamentação?
Porque é que as pessoas se acham no direito de ser um "impecilho" na liberdade das mulheres e quererem que as mães ajam de certa e determinada forma com uma coisa tão natural, humana? Não sou mãe, não senhor. Mas não acho que enquanto mãe tenha que privar o meu filho (ou até a mim mesma) de lhe dar de mamar onde for se a criança tem fome... Ou será que tenho que me esconder?
No outro dia, muito francamente, perguntei ao "marido": 
- "P, tu importas-te quando alguma das mães que conhecemos amamentam os filhos em público?". 
Ele respondeu-me prontamente: 
- "Sena, não. Óbvio que não me ponho a olhar diretamente para a mama da mãe mas as crianças têm que comer e isso é a prioridade, ou não". Eu sorri. Não lhe disse mais nada. Sorri só e apenas. Sorri porque é com este homem que eu quero ter filhos... E amamentá-los... E saber que eu e ele estamos em sintonia e vamos transmitir as melhoras coisas aos nossos pequenos. 
Era esta a conversa sobre mamas.

(Tal como na rádio... Leiam isto a correr e com aquela voz grave: "Texto-não-recomendado-a-gente-com-palas-mais-fechadas-que-as-minhas. Caguei-se-o-tema-não-vos-agradar. Para-mim-mamas-são-para-amamentar-a-canalha")

#cenasdasena #blog #agoraasenafalasobremamas#normalizebreastfeeding #amamentacaoexclusiva #amamentacao